terça-feira, 19 de abril de 2011

Bullying nas escolas


Lei 13995 de 23 de Dezembro de 2009. (Autor Deputado Alberto Feitosa)

Bullying - termo inglês utilizado para descrever as agressões físicas e psicológicas entre alunos, de modo intencional e repetitivo, exercida por individuo ou grupos de indivíduos, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de constranger, intimidar, agredir, causar dor, angústia ou humilhação à vítima.
Só em digitar já fico com raiva dessa prática absurda...ehehehe... mas vamos continuar...
Alguns exemplos de bullying: promover e acarretar a exclusão social, subtrair coisa alheia para humilhar: perseguir; discriminar; amedrontar; destroçar pertences; instigar atos violentos, inclusive utilizando-se de meios tecnológicos e ambiente virtuais.  
Esse último é para quem gosta de usar o Orkut como meio de ofensa...
Em 2006, o instituto SM para Educação (ISME) apresentou dados de pesquisas realizadas em cinco países: Argentina, México, Brasil, Espanha e Chile. Nesse panorama, os alunos brasileiros, em comparação aos outros, são os que mais sofrem insultos, apanham e são assediados verbal, físico e sexualmente. Por esse motivo, o Brasil foi apontado como campeão em bullying.
Também desse jeito o Brasil quer ser campeão em tudo ... Violência, tráfico, pirataria... até em Bullying., oh Brasil vê  se conserta, senão aonde vamos parar...

Podemos prevenir e combater esses abusos no ambiente escolar. Vejamos:

Conscientizar os alunos da prática para ser abolida se existir na sala de aula.
Criar um serviço de denúncia que seja confiável e preserve a identidade das vítimas, já que a exposição é o principal motivo que leva à ausência de denúncia.
Fazer parcerias com Conselhos Tutelares, Delegacias da Criança e do Adolescente, Promotorias Públicas, Varas da Infância e juventude e demais órgãos competentes.
Formação de conselhos antibullying.
Utilizar testemunhos de ex-bullies, pois pode fazer com que os alunos se sintam motivados a mudar de lado em caso de bullies.
Utilizar pequenos vídeos de esclarecimentos ou depoimentos de pessoas que foram vítimas.
Falar com os pais dos envolvidos.
Os pais devem conversar com os filhos sobre o bullying escolar.
Os pais devem observar sinais de envolvimento dos filhos em comportamento de bullying
Promover a troca da turma ou de escola quando as outras estratégias não surtirem efeito.
Encorajar as vítimas à denúncia.
Tomar medidas para que as vítimas se sintam protegidas.
Encaminhar as vítimas para tratamento clínico, quando necessário.

 Esses 3 últimos itens são os mais importantes e difíceis de serem aplicados, pois existe uma forte tendência em se vedar os olhos para não se ver tal realidade, tanto em nível de escola quanto em nível de sociedade... e quando chega ao último item, a criança ou adolescente já está com traumas que serão levados para o resto da vida.
Esse é um resumo do Livro: Bullying nas escolas do Profº Josevaldo, em que faço a referência. Se quiser se aprofundar leia o livro dele muito interessante. A bibliografia segue abaixo:

Fonte: Bullying na escola: Josevaldo Araujo de Melo. Recife: EDUPE,2010.









2 comentários:

  1. Hoje conversando descontraído com um amigo ele entrou na conversa com essa: "agora tudo é culpa do bullying, sempre existiu essas gozações na escola". Como é difícil conscientizar as pessoas que brincadeiras não machucam, que não fazem com que você sinta-se inútil, fraco e inferior a seus colegas. Esse tipo de agressão marca e leva consequências para toda a vida, não vamos dizer que é a causa de toda atrocidade vista em nossa sociedade, porém tem sua parcela de culpa.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Parabens Fernando. Ótima matéria e muito bom o seu blog. Muito interessante, útil e organizado. Vou me cadastrar nele e vou também colocar um link para ele no meu blog.
    E para quem tiver interesse em saber mais sobre o bullying, veja no site abaixo:
    http://each-bullying.blogspot.com/2011/03/marca-da-covardia-consequencias-do.html

    ResponderExcluir