sábado, 18 de junho de 2011

A Situação Precária da Educação Brasileira e as Consequências na Matemática

Essa postagem encontrei no Blog ao qual sou filiado: UBM
Achei bem interessante a postagem e resolvi compartilhar com meus seguidores.


No Brasil existem muitas desigualdades e equívocos em várias áreas que precisam ser corrigidos imediatamente. Vejamos alguns fatos sobre a educação brasileira.

No jornal O Globo, foi publicado hoje o artigo "Haddad acha que baixos salários afugentam os jovens do magistério". Isso é um fato que todos já sabem, e que a maioria dos jovens irão preferir outras carreiras do ensino superior, mas o que nos surpreende e o descaso dos governos que assume o planalto central. Devemos reconhecer o governo Lula criou muitas universidades, mas a educação deve ser muito bem tratada em todos os seus níveis.
Para se ter uma ideia, o Brasil aplica apenas 5% do PIB, enquanto que autoridades no assunto afirma que deveria ser no mínimo 10%. Mas não basta apenas melhorar salários, temos que investir maciçamente na infra-estrutura e também na formação de novos professores durante anos seguidos, para colher os frutos daqui a duas ou três décadas. Por exemplo, a Coréia do Sul foi um país que levou a educação a sério e hoje colhe bons frutos.
E a Matemática é levada a sério? Em partes sim, mas as autoridades ainda não reconheceram que o desenvolvimento de um país está intimamente relacionado com o nível matemático de cada cidadão. Mas, no artigo muito bem explicado do Estadão "Por que somos tão ruins em Matemática" afirma que o brasileiro já nasce sem vocação para aprender matemática. O estudo na área começa com professores sem formação específica, que em geral não gosta da disciplina e acaba com docentes que têm conteúdo para transmitir, mas não didática. Segundo este mesmo artigo, o resultado do Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp), divulgado no mês passado, mostrou que 57% dos alunos terminam o ensino médio com rendimento insatisfatório em Matemática. 

No país há  59 mil professores formados em Matemática para 211 mil com formação em Letras. Para agravar a situação, muitos desses professores formados em Matemática passam longe da escola, pois a baixa remuneração não atrai esses profissionais para as escolas, preferindo a trabalhar na rede bancária. 

"4 em cada 10 jovens brasileiros de 15 anos não sabem fazer uma operação de multiplicação, habilidade ensinada até o quinto ano do ensino fundamental".


Além disso, temos leis retógradas que impedem que profissionais de áreas próximas a Matemática tais como Física e Engenharias atuem como professor universitário. Por exemplo, eu sou formado em engenharia e possuo mestrado em Matemática Pura, ou seja, aprendi muitos assuntos expostos em sua profundidade e que são apresentados de forma superficial nas licenciaturas. Mas quase todos os editais de concursos para professor de Matemática exige uma graduação em Matemática e até toleram um mestrado em outras áreas. Isso é um absurdo! 

Se um engenheiro quer lecionar matemática que dê pelo menos a chance dele mostrar que é tão capacitado que os demais candidatos. Não entendo porque as pessoas que trabalham e dedicam sua vida a rainha das ciências, a área mais lógica do conhecimento humano, são preconceituosas e tomam decisões absurda sem usar o bom senso ou a razão.

Acredito que 7 entre 10 estudantes tem dificuldades com a Matemática, e os dados acima, confirma esta hipótese, mas os poucos que dedicam a esta ciência sofrem algum tipo de dificuldade salarial ou preconceituosa. Um dos motivos do mal desempenho dos alunos baseia-se no fato que a Matemática é quase toda entrelaçada, de modo que não é possível estudar funções sem o conhecimento de Álgebra Elementar, não se pode compreender o Cálculo sem o conhecimento de Geometria Analítica e assim por diante. 

Todos esses problemas estão longe de serem resolvidos enquanto não houver uma valorização e uma ampla reforma no sistema educacional brasileiro, mas com as recentes trapalhadas do Ministério da Educação, isto está longe de acontercer, quem sabe para os nossos netos.

Prof. Paulo Sérgio
Articulador do blog Fatos Matemáticos

2 comentários:

  1. Realmente os baixos salários afugentam os melhores profissionais. Também é preciso urgentemente restabelecer a disciplina nas escolas, e desburocratizar a vida do professor. E que a politicagem seja realmente afastada das escolas. Como, uma gestora ser escolhida por critérios políticos. Aqui em Pernambuco, por exemplo, tivemos um retrocesso. Passamos das eseiiões diretas com provas de conhecimento, para as malfadadas indicações políticas. Como o governo não tem rumo nem prumo, continuaremos parados nesta questão que é a mais importante para o desenvolvimento de fato do país. Ninguém prospera com um povo burro, porque mal educado. A própria sociedade não imagina a dimensão do problema e fica omissa, pois as famílias não participam da educação de seus filhos, a grande maioria. digamos assim. Também é preciso restabelecer a disciplina nas escolas, esta se possíval militar, ou mesmo jesuítica. Punição para alunos malfeitores e aulas de reforço para os preguiçosos. Eu mesmo, como aluno extremamente preguiçoso, talvez com aulas de reforço, teria aprendido pelo menos um pouquinho de matemática. Não é amigo Fernando? Aliás, o seu blog está ótimo.Por isso tantos acessos, sobretudo num tema, para mim, de outro mundo. Um abraço, e parabéns.
    Rafael Brasil.

    ResponderExcluir
  2. Caro Professor, fico muito agradecido pela divulgação do artigo. Gostaria que fizesse uma atualização, pois corrigi alguns erros de digitação e acrescentei algumas linhas relevantes.

    Att.
    Prof. Paulo Sérgio

    ResponderExcluir