sábado, 19 de novembro de 2011

Professor não tem que amar o que faz!

Encontrei um texto no Blog de prof-edigleyalexandre, segue abaixo:
"Pois bem. O professor, assim como o coordenador, o diretor, o bedel, o zelador, a secretária, enfim, todo esse povo dentro da escola, não tem que estar feliz. Não tem que amar o que faz ali. Tem que estar focado, profissional, sério, motivado e trabalhando. Felicidade, amor, alegria, diversão, é depois da aula, é no fim de semana, é na praia, no bar, no motel, na casa da vó, sei lá. Por isso tem que ganhar bem, para poder ser feliz com o que realmente importa, e não pela satisfação de educar o filho dos outros. [Maura Dias, professora de Matemática e Especialista em Educação Matemática."
Passeando pela web encontrei um site que contém um texto que me chamou muita a atenção. A citação acima já justifica o que escrevo. Na verdade não é apenas um texto, são três textos divididos em dois artigos sequenciais que culmina nesse que despertou maior atenção.

1- Professor não fica desempregado.
2- Professor não fica rico.
3- A mentira final - Professor é feliz.
Concordo com algumas coisas citadas nos seus textos, outras não. A frase que leva o título desse post sintetiza bem. Particularmente não acredito que alguém exerça uma profissão sem gostar, sem ter paixão, sem amor pelo que faz.

Mas não se engane e interprete erroneamente a forma com que a autora escreve. As vezes ler, sentir, ouvir sinceridades tão gritantes como essas ajudam-nos a despertar e olhar em nossa volta de outra forma.




Leia o texto: Texto completo e resto do texto

11 comentários:

  1. Generalizar é um erro, não? porém o professor deve ser antes de tudo um profissional. Um amante da ciência e das letras, pois sem tesão não tem soloção, assim dizia sempre que podia, um professor meu lá de Recife, Jorge Ursulino, professor de biologia. Tem que gostar de transmitir, e para isso tem que estudar muito. E sempre. Só que os burocratas da educação, que não são poucos, imbuídos de um marxismo vulgar, entopem os professores de má ideologia, e burocracia. Professor só devia mesmo ensinar. E ser pelo menos medianamente pago pelo serviço. Também temos que ter disciplina , sem a qual nada funciona.Enfim, nada de novo. Porém, logo chegaremos ao óbvio. Mesmo aos trancos e barrancos. Rafael Brasil.

    ResponderExcluir
  2. Foi muito bem colocado a idéia de generalizar, não podemos fazer isso, pois existem professores que amam o que fazem e principalmente, são comprometidos com a educação, mas em compensação existem alguns ou vários que não sei porque está na educação, deveria estar em outra área, mas o texto foi bem reflexivo, por isso resolvi postar. Um abraço Rafael Brasil.

    ResponderExcluir
  3. A educação não deve ser encarada como um sacerdócio... Professsor é um profissional como outro qualker e cabe aí amar ou pelo menos gostar do que se faz! Pois acredito que sem amor ou pelo menos vontade de Fazer! Educação não se contrói sem envolvimento, sem emoção... Tudo ficaria mecânico e sem sentido.

    ResponderExcluir
  4. Concordo plenamente com vc, ser professor é igual a qualquer outra profissão, se não ama, pelo menos faça valer a pena o que faz, senão a educação não anda. Obg por seguir meu Blog, Cristiane. Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Eu não morro de amores pela profissão, mas tento fazer o melhor que posso, como profissional da área. Mas se tiver a chance de mudar de área, farei sem pestanejar. Pois, a missão é árdua e desprestigiada. E não acho que um profissional seria melhor se ganhasse mais, a coisa vai além disso. A educação está longe de seguir o rumo desejado, antes, será preciso chamar a responsabilidade dos pais pela educação dos filhos e não apenas empurrar nas costas dos professores, que estão na escola para desenvolver principalmente o intelecto deles, não os princípios de civilidade.Estes apenas são aprimorados no âmbito da escola,pois lá se pratica o que aprendemos em casa com nossos pais: respeito ao próximo. Grande abraço, Fernando.

    ResponderExcluir
  6. O que temos de exemplo de "profissionais" que dizem que odeiam os alunos e que só faz aquilo por dinheiro é sério, nós temos um exemplo Fernando! Então refletimos se devemos fazer aquilo que gostamos ou então gostarmos daquilo que fazemos?

    Ser professor não é simplesmente transmitir conhecimento, e se dedicar para que algué possa ter um futuro melhor levando em mãos uma semente que você deu.

    ResponderExcluir
  7. Mto boas suas colocações Valdeane. Eu tbm não morro de amores... mas já q estou numa sala de aula com adolescentes q não tem culpa d eu ter escolhido essa profissão... tento fazer o meu melhor! Os alunos vão às escolas totalmente desestruturados e toda a responsabilidade cai sobre nossas costas. Temos q dá educação doméstica, ser psicólogos, mães(mtas vezes), professsor, passar todo conteúdo planejado, enfim... Fernando, seu blog é show! depois visita o meu tbm! Obrigada!

    ResponderExcluir
  8. Concordo com vc não somos obrigados a amar a educação, e sim fazer o nosso melhor, por isso, temos que sempre buscar melhorar e acima de tudo honrar nossa profissão através de um bom trabalho. Um abraço Cristiane.

    ResponderExcluir
  9. Wilker, percebemos muitas vezes que as reclamações são desnecessárias, pelo fato de não querer fazer um trabalho bom. Nós temos um exemplo muito claro em nosso ambiente, e as vezes fico pensando porque esses profissionais ainda estão na educação, com tanta capacidade deveria está em outra área, e depois reclama que a educação é ruim. Mas bola pra frente, e vamos fazer o melhor. Um abraço.

    ResponderExcluir
  10. oi, eu estou pensando em fazer facudade de matematica e queria saber como anda o mercado de trabalho para esse profissional e se e verdade se ele nunca fica desempregado.
    obs: meu teclado nao esta digitando acentos.

    ResponderExcluir
  11. Está em uma ótima temporada, quem atua na área fica desempregado se quiser, pois a procura tá muito grande por profissionais da área.

    ResponderExcluir