sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Votar estressa


A 10 metros da urna, o estresse do eleitor é tão alto que dá para medir suas alterações hormonais: ele produz três vezes mais cortisona que uma pessoa  numa situação mais comum (as glândulas suprarrenais produzem cortisona para ajudar o corpo a lidar com situações emocionais estressantes). Essa foi a descoberta de Hagit Cohen, professor da Universidade Bem-Gurion (Israel).
Hagit se aproximou de 113 pessoas durante uma eleição em Israel, e colheu amostras desaliva. Elas estavam a 10 metros da urna. Depois, no laboratório, Hagit comparou o nível de cortisona com o nível de um grupo de controle, escolhido ao acaso. Entre médicos, a cortisona é conhecida como o hormônio do estresse.
“Ficamos surpresos que uma eleição democrática causasse reações físicas tão típicas de estresse emocional intenso”, disse Hagit. “Talvez isso explique porque tanta gete se abstém de votar.”
Por enquanto, Hagit só mediu o nível de estresse, mas não mediu até que ponto o estrese faz o eleitor mudar de idéias. Essa pesquisa ficará para mais tarde.



Fonte: Revista - Cálculo Matemática para todos. Editora Segmento. Ano 1 – número 12 – Janeiro de 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário