domingo, 5 de fevereiro de 2012

O valor do tempo


Imagine-se com uma conta corrente num banco multinacional chamado Existencial, onde, cada manhã, você acorda com um saldo de 86.400 segundos, nada sendo possível transferir para o dia seguinte.
Ao final de cada dia, seu saldo é zerado, mesmo que você por uma hipótese absurda, não tenha conseguido gastar aquele momento durante o decorrer das vinte e quatro horas últimas. Todos nós somos clientes especiais deste banco. Um banco que trabalha com o tempo. Todas as manhãs sua conta é reiniciada, e todas as noites e sobras do dia vivenciado se evaporam. Não há retorno.
Você precisa gastar, vivendo no presente, o seu depósito diário. Invista, então, no que for melhor, na solidariedade, na saúde, na felicidade e no sucesso!
Faça o melhor para o seu dia-a-dia.
Para você perceber o valor de UM ANO, pergunte a um estudante que repetiu a série ou não passou no vestibular.
Para aquilatar o valor de UM MÊS, indague de uma mãe que teve o seu bebê prematuramente nascido.
Para avaliar o valor de UMA SEMANA, pergunte a um editor de jornal.
Para você entender o significado de UMA HORA, pergunte aos namorados que estão ansiosos por um encontro.
Para você perceber o valor de UM MINUTO, pergunte a um passageiro que perdeu um trem.
Para você compreender o valor de UM SEGUNDO, entreviste um pedestre que conseguiu evitar um acidente.
E para você dimensionar bem o valor de UM MILISSEGUNDO pergunte a um atleta que recebeu a medalha de prata numa Olimpíada.
A lição de tudo acima?
Valorize cada momento que você tem! E valorize mais porque você deve dividir seu tempo com pessoas especiais, especiais o suficiente para bem “gastar” o seu tempo com você. Lembre-se de que o tempo não espera por ninguém. O ontem é história. O amanhã é um mistério. O hoje é uma dádiva. E é por isso que ele é chamado de Presente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário