quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Condenado por ser gay, matemático que quebrou código nazista é perdoado

O britânico Alan Turing (1912-1954), que ajudou os aliados a vencer a 2ª Guerra Mundial ao quebrar o código secreto nazista, recebeu um perdão real póstumo.
Homossexual, Turing foi punido com a castração química por manter relações com pessoas do mesmo sexo.
Ao ser condenado, o especialista perdeu o acesso a informações sigilosas e teve de interromper o trabalho de quebra de códigos que se provou vital para os aliados durante a 2ª Guerra Mundial.
O perdão foi concedido sob a Real Prerrogativa do Perdão após uma solicitação do ministro da Justiça do Reino Unido, Chris Grayling.
O britânico Alan Turing, que ajudou os aliados a vencer a 2ª Guerra Mundial

Tratamento 'terrível'

"Alan Turing foi um homem excepcional com uma mente brilhante", afirmou Grayling.
Ele disse que a pesquisa de Turing conduzida durante a guerra em Bletchley Park "encurtou o conflito" e "salvou milhares de vidas".
O trabalho de Turing ajudou os Aliados a ler as mensagens navais alemães cifradas com a máquina Enigma. Ele também contribuiu com um trabalho fundamental na quebra de códigos que só foi divulgado ao público em abril de 2012.
"A sua vida foi ofuscada por sua condenação pela homossexualidade, algo que consideramos injusto e discriminatório e que agora foi finalmente revogada", afirmou Grayling.
"Turing merece ser lembrado e reconhecido por sua fantástica contribuição ao esforço de guerra e por seu legado à ciência. Um perdão da Rainha é uma homenagem justa a um homem excepcional."
O perdão passa a ter efeito nesta terça-feira, 24 de dezembro.

Morte

Turing morreu em junho 1954 por envenenamento por cianeto. Um inquérito aberto pela polícia concluiu que ele havia se suicidado.
No entanto, biógrafos , amigos e outros alunos de sua vida contestam o laudo e sugerem que sua morte foi um acidente.
Há anos, muitas pessoas vêm batalhando pela concessão de perdão a Turing.
Em dezembro de 2011, um petição online foi criada no site do governo britânico reivindicando o perdão a Turing.
A campanha reuniu mais de 34 mil assinaturas, mas o pedido acabou negado por Tom McNally, então ministro de Estado no Ministério da Justiça britânico, para quem Turing havia sido "devidamente condenado" pelo que era considerado um crime na época.
Antes disso, em agosto de 2009, uma petição havia sido criada para pedir o perdão a Turing. Na ocasião, o matemático ganhou um pedido de desculpas oficial do então primeiro-ministro Gordon Brown.
Brown definiu como "terrível" a maneira como Turing foi perseguido por sua homossexualidade.

domingo, 15 de dezembro de 2013

Calendário 2014

Calendário dodecaédrico 2014.


Fonte: http://mat.absolutamente.net/r_u_calend_2014.php

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Cientistas Revelam o Segredo da Inteligência de Albert Einstein

Albert-Einstein-the-history-channel
O cérebro de Albert Einstein, um dos homens mais brilhantes do século XX e, talvez, da história da humanidade, segue como objeto de investigação da ciência, que busca compreender melhor os mecanismos da sua inteligência.
Esta obsessão pelo cérebro do cientista começou assim que ele morreu, em 18 de abril de 1955, nos Estados Unidos.
O órgão foi conservado, seccionado e fotografado.
Depois de anos de estudos, pesquisadores da Universidade Normal do Leste da China afirmam ter encontrado o segredo da sua inteligência: os hemisférios do seu cérebro estavam extraordinariamente bem conectados, algo considerado fora do comum.O corpo caloso do cérebro (formado por fibras nervosas que unem os lados) era maior do que o normal.
De acordo com o estudo, publicado pela revista de neurologia “Brain”, a conclusão foi obtida pela comparação do cérebro do pesquisador com o de outros 67 homens e destros (15 tinham em torno de 70 anos e os outros 52 estavam na faixa dos 20). Sem levar a idade em consideração, o corpo caloso do cérebro de Einstein mostrou ser maior do que os demais.
New York World-Te­le­gram anun­ci­ando a morte de Eins­tein em 18 de abril de 1955.
Esta pesquisa começa a responder a pergunta sobre as razões da extraordinária inteligência de Einstein e também coloca em questão uma tradicional caracterização do cérebro, em que cada um dos seus dois hemisférios estaria destinado a um tipo de inteligência distinta. Uma vez mais, Einstein mostra sua importância para a ciência, nem mesmo que seja pelo estudo de funcionamento do seu próprio cérebro.
“A lei­tura, após uma certa idade, desvia muito a mente muito de suas ati­vi­dades cri­a­tivas. Qual­quer homem que lê muito e usa seu cé­rebro muito pouco cai em em há­bitos men­tais pre­gui­çosos.”
Al­bert Eins­tein
Fonte: Revista Brain

Teorema de Pitágoras!

Pitágoras estava com um problema e não conseguia resolvê-lo.
Além disso, não parava em casa, andava sempre atarefado.
A mulher dele, Enusa, aproveitava-se da situação e fazia altas orgias com os quatro cadetes do quartel ao lado.
Um dia, Pitágoras, cansado, voltou mais cedo para casa e encontrou os cinco, numa grande orgia. Matou-os, como é óbvio...
Quando chegou o momento de enterrar os cadáveres, em consideração à esposa, dividiu o cemitério ao meio. De um lado, enterrou a mulher Enusa.
Dividiu o outro lado do cemitério em quatro partes e enterrou cada cadete num quadrado.
Subiu à montanha ao lado do cemitério para meditar e, olhando de cima para o cemitério, encontrou a solução do seu problema...
Era óbvia:
O quadrado da Puta Enusa era igual à soma dos quadrados dos cadetes !!!

4 dicas para Professores de matemática despertarem interesse em seus alunos

Se você é professor de matemática, confira dicas para despertar o interesse dos seus alunos na matéria

_______________________________________________________________________________
A maioria dos estudantes enxerga a matemática como um monstro e prefere manter a distância da matéria. Para quebrar esse preconceito, existem algumas alternativas que os professores podem abordar em sala de aula.






A seguir, confira 4 dicas para professores de matemática despertarem interesse em seus alunos:


1. Carreiras
Para que os alunos se interessem em matemática é importante ressaltar quais áreas eles poderão seguir em sua carreira. Existem diversas opções que utilizam conhecimentos matemáticos, desde a medicina até a engenharia.

2. Vídeos
Uma boa alternativa para que os professores despertem interesse em matemática de seus alunos é apresentar vídeos interativos que expliquem a matéria de maneiras mais simples.

3. Aplicativos
Para que os estudantes consigam relacionar matemática com diversão, existem alguns aplicativos que podem ajudar no ensino.

4. Prática
Mostrar aos alunos como eles podem utilizar a matemática no dia-a-dia ajuda na compreensão da matéria. Procure relacionar contas matemáticas com o cotidiano durante as aulas. Experiências físicas ou químicas são ótimas opções para que os estudantes pratiquem. 


quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Matemática pode mesmo dar dor de cabeça


Não é frescura, matemática pode realmente dar dor de cabeça para quem não se dá muito bem com ela.
Pesquisadores da Universidade de Chicago deram alguns problemas matemáticos para 28 alunos – metade deles sofria de “ansiedade matemática” e outros não. Antes e durante os testes, os participantes tinham os cérebros escaneados. E, entre os jovens ansiosos, que mais sofriam na hora de resolver as equações, havia um aumento nas atividades cerebrais associadas ao medo e à dor física.
“Matemática pode ser difícil e para aqueles com altos níveis de ansiedade matemática, ela se associa à tensão, apreensão e medo”, diz a pesquisa. “O interessante é que esta relação não acontecia durante os testes, o que sugere que não é a matemática, em si, que causa dor física, mas sim a antecipação a ela”. Ou seja, era a apreensão que deixava os alunos com dor de cabeça, e não os exercícios.Essa dor é semelhante a que os apaixonados sentem quando levam um pé na bunda.
No fim da história, por mais que você ache matemática uma chatice sem fim, é melhor não sofrer por antecipação – ou a dor pode virar física de verdade…

Fonte:http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/matematica-pode-mesmo-dar-dor-de-cabeca/?utm_source=redesabril_jovem&utm_medium=facebook&utm_campaign=redesabril_guiadoestudante

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Regras de Bingo - Como Jogar Bingo


Quando alguém completa o padrão da cartela de bingo a maneira mais comum de anunciar que você ganhou é simplesmente gritar "Bingo!" alto o suficiente para o cantador ouvir. Assim que o bingo é chamado, um
assistente irá até a sua mesa imediatamente para conferir o bingo.
O assistente chamará os números vencedores para o cantador verificar ou, em configurações mais sofisticadas, simplesmente chamará um número de identificação na cartela, que o cantador insere em um computador que automaticamente verifica ou rejeita o bingo. Dependendo de onde você jogar, a cartela de bingo vencedora pode ser exibida durante o restante da noite para que os outros jogadores possam inspecioná-la.
Se duas pessoas gritam bingo no mesmo número, o jackpot é dividido igualmente entre elas. Da mesma forma, se três pessoas gritam bingo, a casa divide o prêmio em três.
Como duas casas de bingo não operam exatamente da mesma forma, é uma boa idéia ler as regras postadas antes do início da sessão.
Certifique-se de procurar por folhetos especiais: quaisquer regras extras impressas para a noite se sobrepõem às regras postadas.
Probabilidades do Bingo
Calcular as probabilidades no bingo teoricamente é muito simples: trata-se do número de cartelas que você tem dividido pelo númeto total de cartelas no jogo. Assim, se 100 cartelas estão em jogo e você tem 4 cartelas, suas chances de vencer são 4 em 100, ou 4%. O truque é conseguir contar quantas cartelas existem em um jogo. Você pode contar
mentalmente e multiplicar o número pela quantidade que você considera o número médio de cartelas por pessoa, mas pode ser mais fácil falar do que fazer isso.
Porém, essas probabilidades não se aplicam a jogos com jackpot progressivo. Lembre-se de que na maioria dos jogos progressivos, ninguém garante que haverá um ganhador. Assim, as probabilidades de ganhar um jackpot progressivo dependem mais da dificuldade de abranger o padrão no número pré-determinado de números "cantados". As probabilidades são tão exorbitantes em alguns jogos progressivos que podem ser necessárias semanas ou mesmo meses antes que alguém ganhe.
O que você pode fazer para ganhar?
Evite multidões. Como as probabilidades dependem do número de cartelas em jogo, um jogo com poucos freqüentadores pode ser um risco menor. Existe menos competição para o jackpot e, legalmente, as salas de bingo devem dar os prêmios que anunciam independentemente de quantas pessoas estejam jogando.
Jogue com várias cartelas. Não escolha cartelas duplicadas. Fique alerta: preste atenção! Se você não ouvir os números que são "cantados" ou se você esquecer qual padrão está tentando completar, provavelmente não ganhará.

Fonte: www.bilharespaiva.com.br/index.php/regras/regras-de-bingofer

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Trigonometria

trigonometria, palavra formada por três radicais gregos: tri (três), gonos (ângulos) e metron (medir), têm por objetivo o cálculo das medidas dos lados e ângulos de um triângulo.
Medir distâncias é uma necessidade antiga da humanidade, facilmente atendida no caso de envolver pontos próximos. Basta verificar quantas vezes uma dada unidade de medida está contida no comprimento a ser medido. Este é o princípio dos instrumentos mais comuns para medir comprimentos: réguas, fitas métricas, trenas, etc.

Por que estudar Trigonometria?

Há situações, em que se deseja efetuar medidas envolvendo objetos que não são diretamente acessíveis. Atualmente, a trigonometria não se limita apenas a estudar os triângulos. Sua aplicação se estende a outros campos da Matemática, como análise, e a outros campos da atividade humana, como a Eletricidade, a Mecânica, a Acústica, a Música, a Topologia, a Engenharia Civil etc.
Observem algumas situações:
  1. Você já parou para imaginar como os navegadores da antiguidade faziam para calcular a que distância da terra eles encontravam-se enquanto navegavam?
  2. Seria impossível medir a distância da Terra à Lua, porém com a trigonometria se torna simples.
  3. Um engenheiro precisa saber a largura de um rio para construir uma ponte, o trabalho dele é mais fácil quando ele usa dos recursos trigonométricos.
  4. Um cartógrafo (desenhista de mapas) precisa saber a altura de uma montanha, o comprimento de um rio, etc. Sem a trigonometria ele demoraria anos para desenhar um mapa.
Astrolábio (no passado)
Um dos mais antigos instrumentos científicos, que teria surgido no século III a.C. A sua invenção é atribuída ao matemático e astrônomo grego Hiparco.
Teodolito (no presente)
Instrumento geodésico, que serve para levantar plantas, medir ângulos reduzidos ao horizonte e distâncias.
Pode-se dizer que foi a Astronomia a grande impulsionadora da Trigonometria, pois foi o astrônomo grego Hiparco (190 a.C – 125 a.C) quem empregou pela primeira vez relações entre os lados e os ângulos de um triângulo retângulo.
Na Grécia antiga, entre os anos de 190 a.C. e 125 a.C., viveu Hiparco, um matemático que construiu a primeira tabela trigonométrica. Esse trabalho foi muito importante para o desenvolvimento da Astronomia, pois facilitava o cálculo de distâncias inacessíveis, o que lhe valeu o título de PAI DA TRIGONOMETRIA.
Leia mais:
Referências Bibliográficas
LIMA, Elon Lages; Carvalho, Paulo Cezar Pinto; WAGNER, Eduardo; MORGADO, Augusto César. Temas e problemas Elementares. Rio de Janeiro 2ª Ed. SBM, 2005.



Fonte: http://www.infoescola.com/matematica/trigonometria/

História da Trigonometria


A história

Papiro Rhind
Papiro Rhind
Não se pode precisar a origem da trigonometria. Como toda área da matemática, a trigonometria surgiu por diversos estudiosos, principalmente através do estudo da astronomia, agrimensura e navegação. Povos como os egípcios e os babilônios deram importantes contribuições para a descoberta e aperfeiçoamento desse ramo matemático tão importante à época, bem como em dias atuais.
No Papiro Rhind, documento egípcio que data de aproximadamente três mil anos, foram encontrados problemas relacionados à cotangente. Na tábua cuneiforme Plimpton 322, tábua babilônia com texto escrito entre 1900 e 1600 a.C., foram localizados problemas envolvendo secantes.
Ptolomeu
Ptolomeu
Euclides de Alexandria, em sua obra mundialmente conhecida, Os Elementos, apresentou alguns conceitos trigonométricos, porém representados através de formas geométricas. Mas foi Hiparco de Nicéia, na segunda metade do século II a.C., quem recebeu o título de Pai da Trigonometria, isso porque apresentou um tratado com cerca de 12 volumes nos quais tratava da trigonometria com a autoridade de quem conhecia profundamente o assunto. Naquele mesmo período, Hiparco apresentou ao mundo uma tábua de cordas, sendo ele o responsável pela elaboração da primeira tabela trigonométrica que se tem registro. Ainda naquela época, Ptolomeu  apresentou sua tábua de cordas contendo o cálculo do seno dos ângulos de 0º a 90º, ângulos que seriam utilizados nos estudos astronômicos em que ele estava engajado. Hiparco e Ptolomeu deram imensas contribuições para o desenvolvimento da Matemática e da Astronomia.
Hiparco, ao lado de Ptolomeu, é, sem dúvida, um dos nomes mais ilustres dos estudos antigos da trigonometria. É atribuída a ele, também, a divisão do círculo em 360º. Advindos do estudo da Astronomia surgiram os conceitos de seno e cosseno A tangente supostamente surgiu da necessidade de se calcular alturas e/ou distâncias.
A obra matemática mais influente da antiguidade foi escrita pelo astrônomo e matemático Ptolomeu de Alexandria, aSyntaxis Mathematica, obra de 13 livros relacionados à trigonometria. Ainda em terreno grego, Menelau de Alexandriaescreveu três volumes destinados ao estudo da trigonometria, sendo o primeiro atido à ideia de triângulos esféricos, o segundo é uma aplicação da geometria esférica a astronomia e o terceiro trata do Teorema de Menelau.


“Passeando pela história encontraremos a justificativa para o nosso presente e estimaremos o nosso futuro”.
(Robison Sá)
Referências bibliográficas____. O início da trigonometria. Disponível em: http://www.matematica.br/historia/trigonometria.html. Acessado em: 16 de agosto de 2013.
____. Um pouco de história da trigonometria. Disponível em: http://ecalculo.if.usp.br/historia/historia_trigonometria.htm. Acessado em: 17 de agosto de 2013.
____. História da trigonometria. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_trigonometria. Acessado em: 17 de agosto de 2013.


Fonte: http://www.infoescola.com/matematica/historia-da-trigonometria/

Charges do dia...


Como utilizar a trigonometria na arquitetura

A matemática torna o design das construções mais seguro e preciso. A trigonometria é muito importante para a arquitetura, já que permite ao arquiteto calcular as distâncias e as forças relacionadas aos elementos diagonais. Das seis funções da trigonometria básica, o seno, o cosseno e a tangente são as mais importantes para a arquitetura, pois permite ao arquiteto achar facilmente os valores opostos e adjacentes relacionados a um ângulo ou uma hipotenusa e a converter um vetor diagonal em um vetor horizontal e vertical.

Instruções

  1. 1
    Calcule a medida horizontal de um elemento diagonal, multiplicando o comprimento do elemento pelo cosseno do ângulo entre a horizontal e a diagonal. Alguns elementos diagonais são úteis para se utilizar em escoras, cabos de pontes e vigas.
  2. 2
    Calcule a altura vertical de um elemento diagonal, multiplicando o comprimento do elemento pelo seno do ângulo entre a vertical e a diagonal. Alguns elementos diagonais são úteis para se utilizar em tetos, muros de contenção e mudanças de nível.
  3. 3
    Calcule a altura de uma estrutura, multiplicando o comprimento da sua sombra pela tangente do ângulo com o Sol.
  4. 4
    Encontre o ângulo de um elemento, dividindo a altura do elemento pela sua extensão, depois multiplique esse quociente pelo inverso da tangente. Isso é muito útil para descobrir a inclinação de um teto ou de um piso.
  5. 5
    Calcule o valor da força que um suporte de um elemento diagonal deve segurar, multiplicando o valor total da massa do elemento pelo seno do ângulo do elemento diagonal.
  6. 6
    Calcule o valor da força horizontal suportada por um elemento diagonal, multiplicando o valor total da massa pelo cosseno do ângulo do elemento diagonal.
  7. 7
    Calcule a distância para um objeto de altura conhecida, dividindo a altura do objeto pela tangente do ângulo medido da base do objeto ao seu topo. O inverso do resultado é a distância até o objeto.

    Fonte: http://www.ehow.com.br/utilizar-trigonometria-arquitetura-como_23943/

Como a trigonometria é usada na música?

Os sons que ouvimos todos os dias, incluindo a música, alcançam nossos ouvidos como ondas sonoras. Essas ondas sonoras viajam pelo ar em diferentes ângulos a partir da fonte original de som. O som então rebate no que quer que esteja próximo, como pessoas ou paredes de uma sala de concerto. Se um edifício for desenhado de modo que o som não reflita para o ouvido do ouvinte, então a música pode ser difícil de escutar ou pode soar desequilibrada. Engenheiros usam a trigonometria para descobrir os ângulos das ondas sonoras e como desenhar uma sala ou auditório para que as ondas reflitam para o ouvinte de uma maneira equilibrada e direta. Produtores de estúdio ou gerentes de salas de concerto às vezes instalam painéis pendurados no teto – esses painéis podem ser ajustados em ângulos específicos para fazerem as ondas sonoras rebaterem corretamente.

Produção

Produtores em estúdios têm a tarefa de fazer com que uma gravação musical soe equilibrada e contam com diferentes programas de computador para fazer isso. Os produtores podem ver as ondas de som que foram gravadas como diferentes tipo de gráficos. Esses gráficos são produzidos conforme o programa usa equações trigonométricas para calcular rapidamente de que forma o gráfico deve aparecer, com base em pontos individuais – a onda senoidal da voz de um cantor, por exemplo, pode ser visualizada por este processo. O visual dos gráficos pode então ajudar o produtor a ajustar coisas como volume e equilíbrio, por exemplo.

Harmônicos

Cada nota (tom) na música é determinado pelo tamanho de sua onda senoidal — ou seja, é determinado por sua frequência. Notas com ondas mais amplas são mais graves e têm menos ciclos por segundo, enquanto que notas que têm ondas senoidais estreitas são mais agudas e possuem mais ciclos por segundo. Os músicos podem modificar seus timbres manipulando as ondas senoidais produzidas. Por exemplo, se um músico toca uma nota com uma frequência de 512 Hz, então um harmônico ou parcial é produzido acima dela em 1024 Hz e você pode ouvir uma nota base com a mesma nota uma oitava acima. Violinistas frequentemente usam seus conhecimentos de harmônicos, e a afinação está relacionada ao modo como as frequências de base e os harmônicos interagem.

Fonte: http://www.ehow.com.br/trigonometria-usada-musica-como_7484/

Como usar a trigonometria na engenharia

A trigonometria não é somente uma matéria a ser estudada em sala de aula sem aplicações práticas no mundo real. Engenheiros de vários tipos utilizam seus fundamentos para construir estruturas, sistemas, desenhar pontes e solucionar problemas científicos. Trigonometria significa o estudo do triângulo. Ela é usada para encontrar ângulos de um triângulo quando o comprimento dos lados são desconhecidos, ou encontrar os comprimentos de dois lados quando os ângulos e o comprimento de um lado forem conhecidos. Uma vez que se conhecem todas as medidas do triângulo, o engenheiro pode começar a construir e definir a extensão do projeto em que está trabalhando. Os passos a seguir são para entender e usar a trigonometria no campo da engenharia.

Instruções

    Usando a trigonometria na engenharia

  1. 1
    Determine em que campo da engenharia a trigonometria será usada. Além disso, use raciocínio sólido para construir seu projeto de uso da trigonometria.
  2. 2
    Defina os planos do projeto e antecipe as medidas. As questões seguintes são as mais importantes que você deve fazer e definir nos estágios iniciais do calendário de desenvolvimento. 1) Qual a extensão e visão do projeto? 2) Quantos recursos são necessários? (por exemplo, pessoas, fornecimentos, estações de inspeção) 3) Quanto tempo esse projeto terá do início ao fim? 4) Como serão validados os cálculos e a integridade estrutural do trabalho?
  3. 3
    Comece tirando medidas e calculando as dimensões do que você pretende construir ou criar. Por exemplo, ao estudar engenharia civil você terá que calcular a distribuição da força para diferentes estruturas, como pontes de treliça. O engenheiro também tem de calcular quais devem ser os ângulos entre as vigas de uma ponte e o seu tamanho.
  4. 4
    Construa sua estrutura ou sistema de acordo com os seus cálculos. Você também deve criar um manual de especificações do seu projeto para referências futuras.
  5. 5
    Valide a integridade da estrutura do seu trabalho. Ela satisfaz todos os requerimentos iniciais? É segura? Você a inspecionou?

    Fonte: http://www.ehow.com.br/trigonometria-engenharia-como_24404/


Tipos de trigonometria

Trigonometria é um ramo da matemática que usa variáveis para determinar alturas e distâncias. Existem quatro tipos desse ramo utilizados atualmente, os quais incluem a trigonometria fundamental, plana, esférica e analítica. A trigonometria fundamental está relacionada à proporção entre os lados de um triângulo retângulo e seus ângulos. A trigonometria plana calcula os ângulos de triângulos planos, enquanto a esférica é usada para calcular os ângulos de triângulos que estão desenhados em uma esfera. Já a trigonometria analítica fornece as fórmulas em relação à metade de um ângulo e ao dobro deste.

Trigonometria fundamental


Esse tipo da trigonometria é usado para triângulos que têm um ângulo de 90 graus. Matemáticos usam variáveis com seno e cosseno em uma fórmula (também como dados em tabelas trigonométricas na forma de valores decimais) para determinar a altura e distância dos dois outros ângulos. Calculadoras científicas são programadas com as tabelas trigonométricas, tornando as fórmulas mais fáceis de serem equacionadas do que usando divisão. A trigonometria fundamental é ensinada no ensino médio e estudada com profundidade por graduandos em matemática na universidade.

Trigonometria plana


A trigonometria plana é usada para determinar a altura e as distâncias dos ângulos em um triângulo plano. Esse tipo de figura tem três vértices (pontos de interseção) na superfície e seus lados são retas. Os valores para a trigonometria plana são diferentes da fundamental. Por exemplo, a soma do plano deve ser igual a 180 graus, em oposição aos 90 graus. Engenheiros mecânicos, arquitetos, físicos e químicos usam esse tipo de trigonometria.

Trigonometria esférica


A trigonometria esférica lida com triângulos que são desenhados em uma esfera e esse tipo é geralmente usado por astrônomos e cientistas para determinar distâncias no universo. Diferente da trigonometria plana e fundamental, a soma de todos os ângulos em um triângulo é maior que 180 graus. Tabelas de seno e cosseno são usadas, assim como variáveis de latitude e longitude para determinar a distância entre dois pontos. Uma vez usada para determinar a posição do nascer do sol e do por do sol, esse tipo de trigonometria foi originada no 8° século. Entusiastas da navegação e estudiosos que fazem mapas continuam a usar trigonometria esférica atualmente.

Trigonometria analítica


Um subtipo da trigonometria fundamental, a trigonometria analítica procura determinar os valores baseada no plano x-y de um triângulo. O seno (e cosseno) a soma de dois ângulos é usado para obter o seno (e cosseno) de um ângulo duplo. Fórmulas para arcos duplo são também usadas para determinar os valores de arcos metade usando divisão e raiz quadrada. A trigonometria analítica é usada na engenharia e ciência.

Fonte: http://www.ehow.com.br/tipos-trigonometria-info_42491/